sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Fertilidade e gravidez: o chá de inhame e a gravidez de gémeos

Os gémeos podem desenvolver-se naturalmente em qualquer mulher e em qualquer momento da sua vida fértil; no entanto, existem talvez alguns remédios caseiros que poderiam aumentar as hipóteses de vir a ter gémeos. Continue a ler.

O inhame, uma espécie de batata de sabor doce, tem sido relacionado com as gravidezes gemelares. Recentemente descobriu-se que a tribo Yoruba da África Ocidental, cuja dieta está composta na sua maioria por inhames, apresenta uma taxa excepcionalmente alta de gravidezes de gémeos e outro tipo de gravidezes múltiplas. Pensa-se que o segredo está no inhame e que este contém uma série de substâncias que estimulam uma super ovulação, aumentando assim a possibilidade de conceber gémeos.

Com efeito, o inhame é considerado desde há muito como um alimento que aumenta a fertilidade devido a que contém doses consideráveis de fitoestrogéneos, umas substâncias que intervêm de maneira direta no ciclo menstrual da mulher e no mantimento da juventude dos orgãos reprodutores femininos. Por isso, o consumo de inhame é muito recomendado quando se quer gerar um filho e também durante a menopausa, para minimizar os efeitos da mesma no corpo da mulher.

Receita do chá de inhame para engravidar



Ingredientes

Casca de 1 inhame
1 copo de água

Preparação

Coloque a casca numa caçarola não metálica, acrescente a água e ferva a mistura em lume brando durante 20 minutos. Coe e deixe arrefecer um pouco.

Utilização

Beba meio copo do preparado, em jejum, durante sete dias, de preferência entre o dia 7 e o dia 13 do ciclo.

Efeitos esperados: o chá de inhame estimularia os ovários a liberar mais óvulos (dois ou mais), além de melhorar a qualidade dos mesmos; e prolongaria o período fértil, isto é, o tempo disponível do óvulo para ser fecundado.

Nota bem: devem usar-se apenas os inhames destinados à alimentação humana (aqueles pequeninos e cabeludinhos que se encontram à venda no super mercado, junto dos alimentos tropicais); alguns inhames silvestres não são comestíveis.

Aviso: o inhame usa-se para facilitar a gravidez, ou seja, antes de engravidar. Depois, as mulheres grávidas ou a amamentar devem evitar o seu consumo. Porquê? Porque, por causa do seu efeito estrogénico, o seu uso poderia aumentar as possibilidades de vir a sofrer um aborto involuntário. O inhame também não é considerado seguro em mulheres que amamentam porque poderia ser prejudicial para o bebé.

Outras indicações do chá de inhame:

A raiz fervida do inhame, tomada como chá, também se utiliza para acalmar os síntomas da osteoporose, a menopausa e os sintomas da pré-menopausa, tais como os sufocos, a secura vaginal, a sudoração noturna e as mudanças de humor.