quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Contracepção natural (métodos naturais para evitar a gravidez)

Os métodos naturais para evitar a gravidez baseiam-se no funcionamento do aparelho reprodutor da mulher e do aparelho reprodutor do homem; portanto, não é usado nenhum mecanismo de proteção externo ao corpo. Por exemplo, no caso da mulher têm-se em conta os dias férteis durante os quais ocorre a ovulação e há um maior risco de engravidar. No caso do homem tem-se em conta o controle da ejaculação.

Estes métodos têm a seu favor: não provocam no organismo os efeitos secundários associados aos métodos artificiais de controle da gravidez.

Estes métodos têm contra si: não são 100% fiáveis, pois baseiam-se em padrões menstruais regulares sem ter em conta fatores externos ou internos que podem alterá-los. Além disso, nenhum deles oferece proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis.

Abstinência. A abstinência não pode faltar numa lista de métodos anticoncepcionais naturais. É técnicamente impossível que a gravidez ocorra sem se ter relações sexuais. Os jogos sexuais que não implicam o contacto entre órgãos genitais são considerados seguros.


Método lactacional. Este é um método muito eficaz, mas que implica que a mulher tenha acabado de ter um bebé. Durante os primeiros seis meses após o parto, nas mulheres que estão a amamentar, a sucção do bebé inibe a produção de hormonas para a ovulação. Em consequência, não se pode conceber outro bebé. Este método tem 98% de eficácia, caso se cumpram todas as condições: que à mãe não lhe tenha voltado a menstruação, que esteja a amamentar plenamente e que o bebé tenha menos de seis meses.

Interrupção do coito. Também conhecido como "marcha atrás", este método anticoncepcional natural consiste na retirada do pénis da vagina antes da ejaculação. É uma das práticas anticonceptivas mais antigas. Porém, de todos os métodos anticoncepcionais naturais que existem para evitar a gravidez, este é talvez o que apresenta a menor eficácia: em cada 100 casos em que é utilizado ocorrem entre 16 e 22 gravidezes. A sua eficácia só está garantida pelo seu uso correto. A gravidez produz-se durante a relação sexual, mas nem só a ejaculação profunda na vagina a gera. Antes da ejaculação final podem passar desapercebidas várias ejaculações mais pequenas que se iniciam até mesmo antes da penetração, durante o jogo sexual. Estas secreções contêm espermatozóides em quantidade suficiente para fecundar o óvulo.


Método de Billings. Este método baseia-se na interpretação das mudanças na quantidade e na qualidade do muco vaginal que aparece na maioria das mulheres ovulatórias. Nos dias não férteis, o muco vaginal apresenta-se escasso, turbo e amarelado. Nos dias férteis mostra-se mais elástico, transparente e em maior quantidade. Estas propriedades são as que facilitam a ascenção dos espermatozóides até à cavidade uterina. A ovulação ocorre um dia antes, durante ou no dia a seguir à secreção mais abundante. Quando se nota maior secreção e transparência, o casal deve abster-se de ter relações sexuais. Ter relações sexuais volta a ser seguro quatro dias depois do muco transparente, quando este retoma a sua viscosidade e espessura.

Método do ritmo (ou de Ogino). Este método foi proposto por Ogino no inicio dos anos 30 e constitui o primeiro método de planificação familiar. Consiste em levar a cabo, pelo menos durante seis meses, um registo das datas em que se inicia a menstruação, com a finalidade de conhecer em que dias tem lugar a ovulação. Como a ovulação se produz entre 12 e 15 dias antes da menstruação, considera-se que os dias férteis das mulheres com ciclos regulares de 28 dias são os compreendidos entre o 9º e o 18º dias, contando desde o primeiro dia da menstruação.

No caso das mulheres cujo ciclo dura entre 25 e 35 dias, os dias férteis encontram-se entre o 7º e o 21º dias a partir do dia em que teve inicio a menstruação.

Lembre-se também que o óvulo tem uma vida de cerca de 24 horas, período durante o qual pode ser fecundado por um espermatozóide. E que os espermatozóides podem sobreviver no aparelho reprodutor feminino pelo menos até 72 horas.


Cálculo de Ogino

Segundo Ogino, ao ciclo mais curto subtraem-se 19 e ao ciclo mais longo subtraem-se 11 e isto dá-nos os períodos de fertilidade e infertilidade natural.

Ex: Ciclo mais curto = 28 dias e Ciclo mais longo = 36 dias
         28 - 19 = 9                          36 - 11 = 25
O primeiro dia fértil seria neste caso o 9º e o último dia fértil seria o 25º.


Método da temperatura. Para aplicar este método, a mulher deverá medir a sua temperatura corporal basal (temperatura ao acordar de manhã e antes de fazer qualquer esforço) diariamente. A temperatura corporal basal é ligeiramente mias baixa antes da ovulação e sobe umas décimas após a ovulação. E, sim, com este método só saberá que ovulou depois de já ter ovulado. Por isso, seja disciplinada e anote toda a informação durante uns meses. Após uns meses de anotações rigorosas ficará a saber quais são os dias do mês em que tende a ovular. E, tendo em conta a vida do óvulo e dos espertazóides, deverão ser evitadas as relações sexuais desde quatro dias antes da ovulação até dois dias após a mesma.


Monitor de contracepção Clearblue. Este é um método anticoncepcional natural. Carece de efeitos secundários, não requer o uso de medicamentos e é fácil de usar. O seu funcionamento baseia-se nas mudanças hormonais na urina para determinar quais os dias do ciclo menstrual que apresentam uma maior probabilidade de gravidez.

94% de fiabilidade. O monitor de contracepção Clearblue tem 94% de fiabilidade, o que significa que, de cada 100 mulheres que o utilizam durante 1 ano, 6 delas ficarão grávidas.

O monitor controla 2 hormonas naturais presentes na urina. Mediante simples análises de urina, o monitor controla as mudanças que experimentam 2 hormonas (os estrogénios e a hormona luteinizante) para lhe poder indicar quando é seguro manter relações sexuais (os dias verdes) e quando existe risco de engravidar (os dias vermelhos).

Não apresenta efeitos secundários. Sem os efeitos secundários dos anticoncepcionais hormonais nem a incomodidade própria de outros métodos.


Anticoncepcional vegetal (Stevia)

Os índios Guarani do sul do Brasil utilizam "Ka`a he`ê" ("folha doce"), como se chama em Guarani, desde há centenas de anos como adoçante para as suas infusões de mate, e em várias tribos reportou-se o uso desta planta no controle da fertilidade das mulheres, sendo que estas bebem estas infusões por períodos prolongados, quando não desejam engravidar.

Aviso! Apesar da Stevia ter fama de um possível efeito anticoncepcional no organismo da mulher lembre-se que, como qualquer outro método anticoncepcional natural, este também não é um método 100% fiável.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...